Café: veja os recordes da safra 2018!

Por Jéssica Marques

0

Investir na produção de café é sempre uma excelente opção. Nosso país responde por um terço da produção mundial do grão, o que o coloca como maior produtor mundial – posição ocupada há mais de 150 anos. (!)

A atividade cafeeira é desenvolvida com base em rígidas legislações trabalhistas e ambientais. São leis que respeitam a biodiversidade e todas as pessoas envolvidas na cafeicultura.

Porém, o café não é uma preciosidade apenas para os brasileiros. A bebida, mundialmente conhecida e apreciada, tem até uma data em sua homenagem: o International Coffee Day, comemorado no dia 1 de outubro. A data é uma ocasião usada para promover e celebrar o café como bebida, com eventos que ocorrem em lugares do mundo todo desde 2015.  

Além de saboroso, é bom para a saúde!

O hábito de tomar café, desde que em doses moderadas (de 4 a 5 xícaras de 50 ml por dia) proporciona diversos benefícios. Segundo alguns estudiosos do café, o grão tem diversas propriedades que contribuem para a prevenção de doenças e promoção do bem-estar. Ele acelera o metabolismo e queima calorias, além de aumentar a expectativa de vida, diminui o risco de depressão e fortalece a memória e o coração.

E o mercado?

Investir no cultivo de café é uma atividade que pode mudar a vida financeira de um produtor. Os pés de café se adaptam muito bem às condições climáticas brasileiras e o seu cultivo está presente em praticamente todo o território nacional, com destaque para as regiões Centro-Sul. Em 2018, o café está com produtividade média de 32,17 sacas por hectare. Todas essas vantagens colocam o Brasil em destaque com seu potencial de produção dos cafés, o que possibilita atender a crescente demanda, pois o consumo mundial tem aumentado em média 2% ao ano desde 1990, segundo a Organização Internacional do Café.

Apesar de tantas vantagens, é preciso estar atento! O clima seco que contribuiu no momento da colheita preocupa os produtores sobre a temporada 2019/2020. As chuvas no final de julho e no início de agosto precipitaram uma pequena florada da próxima safra de café arábica.

Ainda assim, as projeções para as safras 2018/2019 podem chegar a 65 milhões de sacas no Brasil. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) prevê que o país produzirá até 58,51 milhões de sacas em 2018, o que seria um recorde. Já a safra de café 2019/20 do Brasil foi estimada em 54 milhões de sacas, sendo 39 milhões de arábica e 15 milhões de robusta. A produção recorde se deve, principalmente, a tecnologias mais eficientes de manejo que reduzem o impacto da bienalidade da safra  entre um ano e outro. Além disso, o café precisa fazer a sua recomposição vegetal, que gera alta produção em um ano e baixa no seguinte. A expectativa é de que a tecnologia e o manejo integrado cooperem para que o ano de 2019 não sofra uma baixa tão grande.

Deu pra perceber todo o poder desse grão, não é?

Saiba mais!

Rafael Souza, Coordenador de Desenvolvimento de Produto da Strider, conta mais sobre o cultivo de café no vídeo abaixo. Confira!

Assine a Revista Strider gratuitamente. Clique aqui e acesse a 6ª edição da publicação.

Leia mais notícias e novidades no Blog Por Dentro do Agro. Acompanhe nossas redes sociais em FacebookInstagramLinkedIn e

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.