Como a tecnologia pode ajudar no processo de certificação do café

Por Jéssica Marques

0

Na era da informação, o mercado consumidor está exigindo cada vez mais produtos certificados, e, no mercado agrícola, não é diferente. Apesar dos custos previstos, o processo de certificação do café só traz vantagens e abre um mundo de oportunidades para pequenos agricultores entrarem com maior facilidade no mercado. A tecnologia pode ser uma importante aliada no processo de certificação, simplificando e ajudando os produtores a oferecer produtos dentro dos parâmetros ideais de qualidade.

Saiba mais sobre a certificação do café:

Como funciona a certificação?

A certificação é concedida às fazendas após auditorias e procedimentos de monitoramento realizados por entidades especializadas. Fazendas certificadas possuem um diferencial em relação às demais e podem usar isso comercialmente, já que a demanda está cada vez maior por produtos saudáveis e de qualidade. Os atributos dos grãos certificados incluem características físicas, como origem, variedade, cor e tamanho, além das condições da mão de obra produtora do café.

Todas as informações são colhidas desde a semeadura até a pós-colheita, tudo isso para assegurar a qualidade do produto e uma produção economicamente sustentável.

Categorias de certificação

Existem padrões diferentes  de certificação na cafeicultura brasileira hoje, e cada um contempla um aspecto específico do café.

Os principais padrões de certificação são: Café Gourmet, Café de Origem Certificada, Orgânico, Rain Forest Alliance (RA), Utz Certified (UC), Fair Trade (FT) e Certifica Minas.

Como a tecnologia pode ajudar?

As tecnologias desenvolvidas exclusivamente para o agronegócio ajudam a manter os produtos dentro dos parâmetros de qualidade necessários para obter a certificação. A aplicação de defensivos no tempo certo, por exemplo, é decisiva para o resultado final dos grãos de café.

O Strider Protector, por exemplo, é um software desenvolvido para realizar o monitoramento de pragas nas lavouras. Ele permite monitorar as perdas, qualidade do solo, das folhas e stress hídrico nas fazendas. O Protector também disponibiliza todo o histórico de aplicabilidade e relatórios personalizados, assim é possível saber exatamente como andam os grãos e o que é necessário fazer, caso haja algum problema.

Qualidade no mercado

Apesar de  ser o maior produtor e exportador mundial de café, o Brasil se mantém no mercado de forma competitiva pelo preço baixo e pelo grande volume das produções. A certificação tem sido fortemente estimulada no setor cafeeiro, visando comprovar a qualidade do café nacional, isso eleva os preços dos grãos no mercado e abre mais oportunidades de exportação para países onde os consumidores finais são mais exigentes.

No fim, a certificação é benéfica para todos:

  • produtores, porque lucram mais com grãos mais valorizados e mais diferenciação em relação à concorrência.
  • consumidores finais, porque consomem produtos cautelosamente vistoriados e de qualidade elevada!

Para mais informações, busque as entidades especializadas na certificação:

Certificação ABIC[email protected]

Fair Trade [email protected]

IBD – (14) 3811-9800

UTZ[email protected]

Assine a Revista Strider gratuitamente. Clique aqui e acesse a 6ª edição da publicação.

Leia mais notícias e novidades no Blog Por Dentro do Agro. Acompanhe nossas redes sociais em FacebookInstagramLinkedIn.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.