A internet das coisas (IoT) chegou no agronegócio

0

Você já ouviu o termo “internet das coisas”? Pode não ter ouvido, mas sem dúvida você convive com a novidade no seu dia a dia. O termo se refere à atual revolução da tecnologia, em que objetos são conectados à redes digitais promovendo integração de dados. Geladeiras conectadas à smartphones que informam sobre a necessidade de reposição de estoque; óculos de sol com câmeras digitais acopladas; relógios que recebem mensagens de texto. Isso é internet das coisas (IoT)! O conceito não fica restrito aos aparelhos de uso diário, a IoT também já está presente no agronegócio.

A revolução tecnológica na agricultura já começou: segundo a Secretaria Executiva da Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP), cerca de 67% das propriedades agrícolas do Brasil fazem uso de algum tipo de tecnologia.

Investir em inovação ajuda o produtor rural no controle de riscos de sua produção e aumenta o número de informações sobre sua propriedade, uma estratégia para o aumento de produtividade. Indo além das tecnologias conhecidas, empresas já estão investindo na IoT para seus clientes terem informações ainda mais precisas sobre suas culturas e plantações.

CAMPO CONECTADO

As soluções para o agro incluem monitoramento online em tempo real, permitindo ao produtor ter dados sobre clima, tempo, solo e pragas. Com a IoT, os dados podem ser integrados ao sistema de gestão das fazendas, facilitando a tomada de decisão dos gestores no dia a dia. A inserção da Internet das Coisas no agronegócio proporciona vantagens para os produtores, mas também abre novas portas para o mercado.

Buscando facilitar a vida de quem gerencia grandes empresas agrícolas, já tem empresa pensando além: um software que integra dados de insumos que estão em falta com tabelas de futuras compras, já é realidade. Com novas soluções, empresas podem oferecer tecnologias mais completas para seus clientes, tornando o mercado agrícola cada vez mais competitivo e vantajoso para o produtor.

QUEM E ONDE?

Ainda existem quesitos que preocupam as empresas fornecedoras de tecnologias movidas à IoT.  Muitos locais onde as tecnologias são introduzidas, existe uma carência de sinal de internet de qualidade, o que dificulta o envio de dados em tempo real. Desta forma, é necessário o armazenamento de informações para envio tardio. A ferramenta funciona, mas não com a mesma eficiência que teria se usada da forma que foi planejada.

Outro fator, é a capacitação da mão de obra. Novos equipamentos e tecnologias exigem treinamento de funcionários para o correto uso de suas funções. A capacitação da mão de obra, quando feita,  é um ganho para o produtor e para o trabalhador, que tem a possibilidade de adquirir experiência e agregar valor ao seu trabalho.

CAMINHO CERTO

As dificuldades existem, mas a inclusão da IoT no agronegócio é o caminho para a evolução. Líderes estão cada dia mais empenhados em tornar seus negócios eficientes e super produtivos, e já enxergam a necessidade e utilidade da modernização para alcançar seus objetivos.

A sucessão de liderança também tem sido outro fator importante para mudança de mentalidade do produtor. Novas gerações querem, cada vez mais, entregar produtos com custo menor de produção, mas com qualidade superior. Uma força a mais para a modernização do agro.

Leia também: Setor De Agronegócio Atrai Profissionais De Outras Áreas.  Acompanhe nossas redes sociais em FacebookInstagramLinkedIn e Youtube.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.