Os 3 piores erros que você pode cometer na gestão agrícola

0

O agronegócio é um setor que cresce mais a cada ano.  De acordo com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi,  praticamente todo o crescimento do país em 2017 veio do agronegócio. No ano de 2017 o resultado do PIB da agropecuária avançou 13% na comparação com 2016.

Mas mesmo com este crescimento acelerado, ainda existem erros primordiais na gestão que impactam todo o negócio. Confira, a seguir, os principais fatores que podem atrapalhar o sucesso da produção:

1- Não organizar dados e informações.

Um dos erros mais graves para a gestão agrícola – e também para outros negócios – é justamente a falta de gestão. Quando se tem um grande fluxo de informações é necessário analisar a evolução da produção, gastos e investimento.

Cada gestor vai escolher a melhor forma de organizar estes dados, seja por meio de planilhas ou softwares de gestão. A decisão vai vir de acordo com a necessidade de profissionalização e maturidade da empresa. As planilhas, mesmo sendo um passo importante para esta organização,  diminuem o tempo de ação e muitas vezes fazem com que informações se percam na transcrição.

Já os softwares de gestão fazem com que todos os dados colhidos em campo sejam transferidos em tempo real para o escritório. A atualização fica automática e a tomada de decisão mais assertiva.

Mas independente da escolha de formato, organizar e registrar é tarefa essencial.

2- Tomar decisões por instinto.

Muitos produtores erram na hora de tomar decisões importantes por agirem por intuição. A comparação safra a safra e o monitoramento da produção ajudam na tomada de decisão, mostrando o panorama completo do negócio.

Um destes exemplo é a utilização de agrotóxicos. O Brasil é líder em consumo de defensivos químicos! Estes produtos são uma ferramenta importante para produtividade, isto é inegável, mas seu uso indiscriminado pode trazer muitos riscos.

Para não exceder nos defensivos o produtor pode fazer aplicações localizadas. Ele monitora sua plantação por meio de mapas de calor e sistemas de controles de praga. Sabendo exatamente onde deve agir, ele reduz a quantidade de químicos utilizados. Deixa sua produção mais limpa e economiza ao final da safra.  

3- Não capacitar a sua equipe.

O trabalhador que antes fazia colheita e plantio de forma manual, agora opera máquinas e sistemas das mais altas tecnologias. Assim, a capacitação da mão de obra é fundamental para promover a evolução do agronegócio, que lida constantemente com a inovação. Não adianta investir nos melhores equipamentos e soluções em tecnologia, se os usuários não souberem aproveitar todo seu potencial.

Quando o produtor escolhe utilizar uma nova ferramenta, deve levar em conta se o seu parceiro tecnológico fará o treinamento de sua equipe, para capacitá-la na utilização correta do produto. Também é importante poder contar com o serviço de pós-venda, que irá solucionar futuras dúvidas sobre a ferramenta.

Viu só? Com gerenciamento, controle e equipe alinhados a produtividade aumenta e o lucro só cresce.

Leia também: Como Não Errar Na Escolha Do Seu Próximo Fornecedor Tecnológico. Acompanhe nossas redes sociais em FacebookInstagramLinkedIn e Youtube.

 

 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.