Plantas daninhas no café?

0

Assim como em outras culturas, no plantio do café podem ocorrer infestações de plantas que crescem espontaneamente na lavoura e concorrem por água, luz e nutrientes. Estas plantas daninhas – ou concorrentes – devem ter sua população controlada.

E para garantir um bom controle, são necessários conhecimentos da biologia destas plantas daninhas:

Conhecendo as daninhas

O controle das plantas concorrentes teve origem na antiguidade, quando apareciam no estado silvestre em conjunto com nossas plantas cultivadas. Mas a domesticação e o melhoramento das plantas cultivadas resultaram na perda da capacidade de adaptação para competir com as plantas concorrentes.

Assim, a grande habilidade das plantas concorrentes em relação às cultivadas tem origem da sua alta agressividade competitiva e de sua grande produção, dispersão e longevidade de sementes.

Adaptação 

Enquanto as plantas de café ficam na casa de dezenas a centenas de sementes por planta, um único exemplar de uma daninha chega a produzir de dezenas a centenas de milhares de sementes. Suas sementes possuem, ainda, estruturas adaptativas que permite a disseminação pelo vento por aderência aos pelos de animais ou à roupa do trabalhador. Três das principais espécies de maior incidência são:

1- Dente-de-leão – Taraxacum officinale
2- Serralha – Sonchus oleraceus
3- Lingua-de-vaca – Rumex crispus

Todas estas adaptações são coerentes com a teoria da origem das espécies: sobrevive quem se adapta.

Na próxima semana, a Série Produzindo Mais – Café, abordará o controle das plantas concorrentes.

Até lá!

 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.