Produção agrícola: 3 dicas para melhorar sua gestão

0 7.119

A gestão na produção agrícola envolve uma série de processos que precisam de atenção. Alguns deles, como o controle de pragas nas lavouras, por exemplo, quando não acompanhados adequadamente, podem causar prejuízos e até mesmo inviabilizar a produção.

Por isso, o setor de agrotecnologia cresce mais a cada ano e apresenta uma série de inovações em favor do produtor. Várias ferramentas, softwares e plataformas surgiram para potencializar os resultados na gestão agrícola, e gerar impacto positivo na qualidade, produtividade e lucratividade do agronegócio.

Sabendo disso, separamos três dicas sobre gestão de produção agrícola para você. Confira!

1. Atenção para a gestão de pessoal e supervisão

O treinamento adequado de pessoal é um dos fatores para a alta produtividade no campo. É necessário que os técnicos entendam a importância dos processos de trabalho e como suas ações interferem na cadeia de produção. Por isso, tenha como prioridade a capacitação e qualificação de seus funcionários, demonstrando a importância do comprometimento com as atividades e conscientizando-os sobre os prejuízos causados por erros que poderiam ser evitados.

Ensine-os sobre a importância da fidelidade nos dados prestados e das vistorias, para evitar retrabalho. Tenha em mente que o comprometimento da sua equipe é fundamental para o sucesso do seu negócio.

Para estar ciente de todos os detalhes do negócio, o gestor deve acompanhar de perto sua equipe. Ele precisa saber se o trabalho está sendo realizado com a qualidade e atenção necessária e cobrar melhores resultados quando for preciso.

2 – Você já ouviu falar em padronização e automatização de processos?

Quando não há procedimentos estabelecidos para a rotina de trabalho, cada colaborador age da forma que julgar mais apropriada. As informações não ficam centralizadas, o que pode causar ineficiência na gestão, na tomada de decisão e atrasos em importantes processos, como a aplicação de defensivos.

Com a falta de padronização também fica difícil organizar informações de plantio e colheita, dados sobre talhões específicos e até mesmo saber se você está tendo lucro ou prejuízo. Também aumenta a possibilidade de erros e divergência nos dados, impactando a tomada de decisão.

A era das planilhas, papéis e pastas também chegou ao fim. Não existe mais a possibilidade de gerir um negócio, esperando assertividade e resultados positivos, sem investir em ferramentas adequadas. A automatização de rotinas no agro é praticamente inevitável e é hoje uma das maiores preocupações dos produtores que querem crescer.

Além de gerar ineficiência na gestão, processos manuais geram relatórios não confiáveis e, em consequência, decisões baseadas em dados inconsistentes. Ou seja, não há certeza sobre o resultado de processos como o monitoramento, por exemplo, mesmo realizado na mesma data e lugar.

Por outro lado, o estabelecimento de procedimentos documentados e bem organizados ajuda na padronização e otimiza a gestão, além de contribuir para o aumento da produtividade do negócio. O ideal é centralizar as informações e dados em um só ponto, favorecendo análises e baseando decisões importantes para o futuro.

3 – Preocupe-se com os gastos excessivos, fluxo de caixa e controle financeiro

Para construir uma boa gestão agrícola é preciso planejar estrategicamente, executar as tarefas em tempo hábil, ficar de olho no estoque, quadro de pessoal, regulagem das máquinas e rotina de atividades, saber analisar os sinais que o campo dá e ficar atento ao menor sinal de irregularidade.

O controle financeiro é de extrema importância, já que não há como saber em que você está gastando, lucrando ou tendo prejuízo sem ele. Por isso, use uma boa ferramenta para gerir custos, investimentos, fazer análises de preços de insumos e outros. Por meio dos dados gerados você saberá exatamente aonde está tendo prejuízos, e precisa corrigir processos, e aonde está tendo um bom retorno, para investir ainda mais e aumentar seu rendimento.

Atualmente, a tecnologia auxilia os produtores a controlar consumo de combustível, por meio de sensores instalados nas máquinas – e a economia é um ponto importante do controle financeiro. Ela também auxilia no monitoramento e controle de pragas, uma das atividades mais importantes no dia a dia do agro e que chega a representar 40% do custo da lavoura. O processo fica mais assertivo, com o registro de informações e a transmissão dos dados mais confiáveis e em tempo real.

A tecnologia fornece ainda informação georreferenciada, estrutura para controle do caminhamento e distribuição de pontos amostrais, além de suporte técnico para decidir qual a melhor metodologia a adotar (definir seu nível de controle). Outro diferencial é o auxílio técnico para decidir quais pragas representam ameaça à sua produtividade e a personalização da tecnologia de acordo com a região da lavoura, tipo de cultura e outros.

Neste sentido, a tecnologia se torna essencial para a tomada de decisão do produtor, reduzindo riscos de perdas e aumentando a produtividade da lavoura e em consequência aumentando a receita do negócio.

Gostou do post? Leia notícias, novidades e curiosidades sobre o universo agro no BlogAcompanhe nossas redes sociais em Facebook, Instagram, LinkedIn e Youtube.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.